Noticias

Europa. Palco da emoção, das reviravoltas, das despedidas e das palmas

O futebol europeu é tido por muitos como o mais competitivo do mundo, e a realidade é que os jogos dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões e da Liga Europa que se jogaram nesta semana são prova contundente dessa supremacia do Velho Continente. Esta foi uma semana de alegria para muitos, e de tristeza para outros tantos.

Em Manchester, o Sporting despediu-se da Liga dos Campeões com o queixo erguido, após um empate a zeros que lavou o travo amargo da goleada por 5-0 em Alvalade, poucas semanas antes; em Madrid, os ‘merengues’ protagonizaram uma remontada épica assinada pelo internacional francês Benzema, que tramou o compatriota Mbappé; no Porto, os ‘dragões’ deixaram-se embalar por um Lyon que surpreendeu e saiu da primeira mão dos ‘oitavos’ com vantagem; e em Liverpool, apesar da derrota, os reds seguiram em frente, com vantagem mínima sobre os italianos do Inter. Mas vamos por partes.

Remontada Em Madrid, o PSG estava já a sentir o cheiro dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, especialmente graças ao golo que Kylian Mbappé marcou na segunda mão da eliminatória, colocando os parisienses em vantagem, no resultado acumulado, por 2-0. Os madrilenos tinham, no entanto, outras ambições, e Benzema transformou-se num verdadeiro ‘galáctico’, completando um hat-trick perante um Gianluigi Donnarumma desinspirado e trapalhão. O Real Madrid riu por último, dançando a caminho dos ‘quartos’ e deixando os adeptos do emblema de Lionel Messi, Di María, Neymar, Danilo e Nuno Mendes atónitos. Quem não se deixou ficar de braços cruzados foram, no entanto, os elementos do clube parisiense. O presidente Nasser Al-Khelaifi perdeu a cabeça depois do encontro e, no balneário, segundo o jornal Marca, a temperatura aqueceu entre Neymar e o guarda-redes italiano Gianluigi Donnarumma, que terão tido uma forte discussão, obrigando os companheiros de equipa a intervir para evitar que chegassem a vias de facto.

Empate com sabor a vitória O Sporting ficou traumatizado pela primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, em que foi derrotado em casa pelo City de Guardiola, por uns pesados 5-0, com um bis de Bernardo Silva. Na segunda mão da eliminatória, temia-se uma repetição do fatídico encontro, mas o resultado permitiu aos ‘verdes-e-brancos’ marcar um ponto de honra na sua despedida da liga milionária, segurando um empate a zeros no Estádio Cidade de Manchester.

Derrota inesperada No Estádio do Dragão, sob forte chuva, o FC Porto teve pela frente um Olympique Lyonnais que, surpreendentemente, acabou por sair da primeira mão dos ‘oitavos’ da Liga Europa em vantagem, após ter dominado a partida no Dragão. Onde os ‘azuis-e-brancos’ ou não conseguiam acertar na baliza guardada pelo luso-francês Anthony Lopes, ou então o VAR vinha estragar os planos.

Primeiro, com uma grande penalidade que, depois de assinalada, acabou por não acontecer, quando o árbitro espanhol da partida consultou o VAR e percebeu que, afinal, não havia ilegalidade. E, de seguida, quando a ferramenta de apoio aos árbitros entendeu que Toni Martínez estava em posição irregular quando cruzou a bola para Mbemba, que chegou a fazer o golo do empate já nos descontos, entretanto invalidado. Os ‘dragões’ entraram com o pé esquerdo na eliminatória, que tem segunda mão marcada para 17 de março, em Lyon.

À hora de fecho desta edição, o Sp. Braga jogava a primeira mão dos ‘oitavos’ da Liga Europa frente ao Mónaco.

Liverpool ‘à rasca’ A semana foi ainda marcada pela passagem do Liverpool de Jürgen Klopp aos ‘quartos’ da Liga dos Campeões… ‘à rasca’. É certo que os reds tinham vencido o Inter na primeira mão da eliminatória, em Milão, por 2-0, mas nem sempre uma vantagem de 2 golos é garantia de passagem sem problemas, muito menos agora que acabou a regra da vantagem dos golos fora… e a segunda mão desta eliminatória foi a prova disso.

Em Liverpool, o emblema de Diogo Jota foi derrotado pelos transalpinos, por 1-0. O Inter chegou mesmo a estar muito perto de empatar a eliminatória e levar os reds ao limite. Ainda assim, pela vantagem mínima, o Liverpool lá passou para os ‘quartos’ da liga milionária, valendo-se do bom desempenho na visita a Milão.